Faça seu login

Notícias

Piscinas no Sena

Postado em 21 de junho de 2017 | 0 comentários


Idealizadas pelo Projeto Nadar, Paris receberá durante o verão europeu três piscinas abastecidas com água descontaminada do Rio Sena. O objetivo do projeto é estimular e possibilitar a natação em áreas públicas da cidade e ainda colocar Paris entre as favoritas para sediar os Jogos Olímpicos de 2024.

Em 2016, a prefeitura da cidade anunciou que as águas do rio Sena poderiam ser utilizadas para natação, dado utilizado pelo projeto para a concretização das piscinas. Elas estarão localizadas na Bacia de La Villette, um lago artificial no 19º distrito.

O projeto prevê uma piscina para crianças, uma com até 1,2 metros de profundidade e uma terceira destinada aos nadadores mais experientes, de 2 metros.

As piscinas estarão disponíveis até o final do verão europeu e, de acordo com a prefeita de Paris, Anne Hidalgo, a estimativa é de que sejam recebidos 75 mil banhistas por dia. Além deste projeto, a prefeitura de Paris montará a tradicional praia nas margens do Sena para aliviar o calor do verão.

As piscinas públicas não chegaram apenas em Paris. Em Nova York, uma piscina pop-up será instalada no parque da Ponte do Brooklyn durante o verão. Ela tem capacidade para 60 pessoas e cada visitante pode permanecer até 45 minutos aproveitando o refresco das águas.

Fonte: Piscina limpa

Participe da Revista ANAPP

Postado em 13 de junho de 2017 | 0 comentários

A ANAPP disponibiliza 02 espaços gratuitamente aos sócios filiados na seção História e Notícias dos Associados.

 

  1. Notícia do Associado (conteúdo empresarial)

Espaço dedicado ao associado para divulgação de notícias da empresa, vetadas veiculações de produtos e promoções, exceto lançamentos devidamente comprovados.

Os tamanhos das matérias/inserções deverão obedecer aos critérios abaixo, considerando:

  • Não anunciante: Até 250 caracteres com espaço, sem imagem.
  • Anunciante rodapé: Até 500 caracteres com espaço (com ou sem imagem)
  • Anunciante ½ página: Até 750 caracteres com espaço (com ou sem imagem)
  • Anunciante uma página: Até 1.000 caracteres com espaço (com ou sem imagem)
  • Anunciante 4ª capa: Até 1.250 caracteres com espaço (com ou sem imagem)

Observações:

  • A empresa participante não poderá participar desta seção no intervalo de 4 meses;
  • Em caso de imagem, será admitida uma única foto no formato  jpg (diagramador deverá padronizar tamanho da imagem para não favorecer ou desfavorecer outros associados);
  • Caso a empresa já esteja na seção História do Associado, ela não poderá enviar conteúdo para a seção Notícia do Associado para mesma edição da revista.

 

  1. História do Associado (conteúdo empresarial ou empresário)

Espaço de 2 páginas dedicado a descrição da história do associado, sem destaque comercial e, em caso de fotos, apenas da empresa e diretores, estado vetadas fotos promocionais de produtos.

  • Tempo mínimo para participação: uma inserção a cada 3 anos;
  • Validação prévia com a diretoria da Anapp.

 

  1. Empresas Anunciantes X História do Associado

Caso a empresa participante da seção História do Associado seja também anunciante, o anúncio deverá ser posicionado separadamente da citada seção.

Caso o anunciante faça questão da publicação do anúncio junto da História do associado, ele deverá pagar um acréscimo de 10% sobre o valor do anúncio da respectiva edição.

 

  1. Empresas Anunciantes e interessadas em publicar Notícia do Associado X Inadimplência

Caso o anunciante esteja inadimplente em 2 parcelas ou mais, este não poderá ter seu anúncio publicado nas próximas edições. Exceto em caso de negociação e pagamento de pelo menos 1 parcela do acordo antes da próxima publicação.

 

  1. Observações gerais:

Obs.1: Em caso de nota de falecimento o texto será limitado a 500 caracteres com ou sem foto.

Obs.2: Todas as veiculações nas mídias da ANAPP, por quaisquer empresas, devem atender aos critérios previstos no Código de Ética a ANAPP, disponível em www.anapp.org.br

 

Para participar, envie um e-mail para comunicacao@anapp.org.br aos cuidados de Danielle Costa, manifestando seu interesse.

Anuncie aqui revista 02

Anuncie já

Seja visto por lojas e revendas de todo o Brasil.

Para receber uma proposta entre em contato com João Marques, 11 2307-0122 ou envie um e-mail para joao.marques@anapp.org.br.

 

 

 

Empresa inicia construção de piscina de ondas revolucionária na Austrália

Postado em 9 de junho de 2017 | 0 comentários


Surf Lakes prometo conclusão do projeto de demonstração em Brisbane para o fim do ano. Parque de ondas com diferentes tamanhos e formatos.

Empresa inicia construção de piscina de ondas revolucionária na Austrália | radicais / surfe | Globoesporte

Após Kelly Slater desenvolver um projeto de uma piscina de ondas para prática do surfe através de sua Wave Company (KSWC), muitos empresários compraram a ideia e tentam aprimorar o projeto. Fundada em Brisbane, Austrália, a Surf Lakes pretende desenvolver diversos espaços do tipo para prática do esporte, o de demonstração já começou a ser construído na cidade-sede da empresa e tem previsão de conclusão até o final de 2017.

Projeto desenvolvido pela empresa que ficará em Brisbane, na Austrália

A tecnologia usada é diferente da que a empresa de Slater mostrou em suas primeiras exibições, com um gerador de ondas colocado no centro da gigantesca piscina, o protótipo consegue gerar diferentes tipos e tamanhos de ondulações. O surfist Mark Occhilupo, campeão do mundo 1999, é um do principais apoiadores da empresa australiana.

– As outras piscinas de ondas que vimos lá fora são muito boas, mas essa tem um novo patamar. Aquela imagem da onda de Kelly foi incrível, e não estou sendo tendencioso, mas acho que vai superar isso. A onda de Kelly é perfeita, não me entenda mal, e é longa. Mas essa é muito maior e temos variedade – disse Occy.

Além do tamanho e formato das ondas, a Surf Lakes também promete inovar em relação a frequência. A máquina desenvolvida pela KSWC consegue criar um total de 15 ondas por hora, os australianos prometem aumentar esse número para 2400 por hora. Occy inclusive ajudou a projetar uma onda que foi batizada de “Pico de Occy” e tem formato e tamanho semelhantes aos de Teahupoo.

 

surf-lakes

 

 

Fonte: Globo Esporte

Piscinas Caninas – A natação é benéfica não apenas para nós, humanos

Postado em 25 de maio de 2017 | 0 comentários

As aulas de natação são as novas queridinhas dos cães. Sempre com o acompanhamento de especialistas, os exercícios feitos em piscina específica para animais são de baixo impacto, podendo ser realizados por aqueles com problemas na coluna ou tendência a desenvolver displasia coxo-femural.

Com atividades como buscar a bolinha no fundo da piscina e pegar palitos que flutuam, as aulas são divertidas e ajudam os cachorros a reduzir dores nas articulações, estresse dos músculos e até no tratamento de fraturas.

De acordo com artigo do veterinário Dr. Ricardo Tubaldini publicado no site Cachorro Gato, outro ponto positivo é que esse tipo de exercício ajuda os cães na respiração, resistência e circulação sanguínea, sendo ideal para aqueles que estão acima do peso, pois perdem, em menos tempo, mais calorias e gorduras do que se estivessem correndo ou caminhando.

Ainda de acordo com Tubaldini, é necessário tomar alguns cuidados importantes, como a utilização de coletes flutuantes nas primeiras das aulas, ensinar o cachorro a sair da piscina sozinho, certificar-se de que ele se sente confortável na água e sempre contar com a presença de um treinador ou veterinário especializado junto ao cão enquanto ele está na piscina. E, por fim, vale reforçar: cachorro só pode nadar em piscina de cachorro.

 

Evento de natação para cães foi realizado em Seattle, no estado de Washington (Foto: Jordan Stead/Seattlepi.com/AP)

 

 

Fontes: Piscinas Limpas e sites Cachorro Gato e  Meus Animais

Foto: Jordan Stead

 

 

Luz, conforto… satisfação!

Postado em 23 de maio de 2017 | 0 comentários

Conceito de decoração hygge, originário da Dinamarca, promete dar vida nova à casa, valorizando a luz e o aconchego

 

Olho: A decoração hygge valoriza tons claros, como o branco, bege, palha e os amadeirados. Os queridinhos entre os materiais são os naturais, como madeira, algodão, linho e pele”

“Considero tudo o que traz bem-estar e conforto como atual, afinal, hoje em dia valoriza-se muito mais o tempo em casa com a família ou amigos”

Ludmila Wilson, decoradora e especialista em decoração de ambientes

Por Tatiana Vieira

 

 

 

Decoração

Imagine o país eleito pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o “mais feliz do mundo”… O que será que pode estar por trás da sensação de bem-estar de seus cidadãos? Certamente, você dirá que o lugar onde vivem tem um peso importante nessa equação da vida em que a satisfação prevalece. Pois bem. Foi na Dinamarca, nação que ganhou o título de campeã mundial em felicidade em 2013 e 2016, que surgiu um conceito de decoração de casas que se tornou tendência no Brasil nos últimos anos: o estilo hygge.

 

A palavra dinamarquesa ‘hygge’ não tem uma tradução literal, mas traz consigo as ideias de apreciar a vida e seus prazeres mais simples. E são esses os valores a que os dinamarqueses dão atenção – talvez esteja aí seu segredo da felicidade.

 

Transportando-o para o lar, o conceito hygge se refere aos sentimentos de paz, tranquilidade e bem-estar. Um ambiente nesse estilo de decoração estima tudo o que pode oferecer de conforto e aconchego, ao mesmo tempo que preconiza a claridade e o calor, valores que são herança dinamarquesa. Ao longo do ano, o país tem poucas horas de luz solar, assim como enfrenta longos e rigorosos invernos.

 

Segundo a decoradora Ludmila Wilson, formada pela Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG) e especialista em decoração de ambientes, o hygge é um conceito em voga e que, cada vez mais, ganha novos adeptos. “Considero tudo o que traz bem-estar e conforto como atual, afinal, hoje em dia valoriza-se muito mais o tempo em casa com a família ou amigos”, defende. Ainda de acordo com a decoradora, o hygge é antigo na Dinamarca, mas ganhou o mundo recentemente.

 

O prazer de estar em casa

 

Na decoração hygge, o conforto é o mais importante, pois traz a sensação de acolhimento. Isso só é possível graças à utilização de materiais naturais, como o uso do linho e do algodão em almofadas, tapetes e sofás. Outra dica é apostar na madeira, que também remete ao aconchego. “Tudo isso em cores claras, que ajudam a iluminar e proporcionar uma sensação de amplitude ao ambiente. Iluminação aconchegante e flores naturais dão o toque final.”

 

Entre os tons mais utilizados no estilo hygge, estão o branco, o bege, o palha e os amadeirados. Para dar um clima ainda mais intimista e acolhedor, as velas podem ser usadas e espalhadas em vários pontos do ambiente. Objetos como mantas, almofadas e tapetes também são bem-vindos. Ludmila recomenda ainda o uso de móveis rústicos e peças de artesanato. “A única ressalva em relação aos móveis é que não sejam muito pesados visualmente ou escuros”, explica.

 

Outra sugestão é aproveitar bastante a luz natural, prestando-se muita atenção nas janelas. O uso de cortinas não é proibido, mas deve-se priorizar texturas macias e suaves e tons mais claros. Nas paredes, as cores mais brandas são as indicadas, dando assim a ideia de um espaço amplo e confortável.

 

Hygge ao ar livre

 

O conceito hygge também pode ser aplicado em lugares externos da casa, incluindo áreas com piscinas. A dica é explorar elementos como almofadas, pufes e também as plantas, que conferem um ar de naturalidade ao ambiente. Vasos de flores sobre as mesas podem dar um charme a mais.

 

Por fim, fica a recomendação de prestar atenção aos detalhes, escolhendo peças decorativas que possam trazer um clima mais intimista ao ambiente. No estilo hygge, o que manda é o prazer de estar em casa, curtindo cada cantinho e esquecendo as preocupações da vida lá fora!

 

decoração2

Como dar um toque hygge à sua casa:

 

Regra principal
Abuse de tons claros e amadeirados. Use materiais naturais (madeira, algodão, linho, peles) e invista em pontos de luz, sempre se lembrando do equilíbrio e do conforto.

 

Valorize objetos que dão a sensação de bem-estar e aconchego:

  • Opte por tapetes, mantas sobre os sofás e muitas almofadas. Utilize velas e castiçais, bem como peças de artesanatos. Flores também são uma ótima pedida! Outra dica é investir em lareiras;
  • Utilize móveis rústicos, porém em tons mais brandos;
  • Valorize as janelas, pois são os principais pontos de entrada de luz natural. Se utilizar cortinas, prefira tons claros e tecidos naturais;
  • As paredes devem receber cores claras e, caso queira dar uma sensação de amplitude ainda maior, opte por pisos de tons claros também.

 

Em áreas com piscinas
Utilize almofadas e pufes. Plantas podem ser espalhadas pelo ambiente para dar um tom mais naturalista.

 

Fonte: Revista ANAPP

Anuncie aqui revista 02

anapp_132_capa

 

Entrevista – Fora de época

Postado em 8 de maio de 2017 | 0 comentários

Consultor financeiro dá dicas de como lidar com a sazonalidade, otimizar recursos e manter as vendas aquecidas durante o ano inteiro.

Ao imaginar um banho de piscina, uma das primeiras imagens que vêm à cabeça é um belo dia de sol acompanhado de bastante calor. Mas como ficam as vendas nos períodos de temperaturas mais baixas e tempo mais fechado? O mercado de piscinas é um setor bastante vulnerável a um fenômeno conhecido como sazonalidade, ou seja, quando as vendas acompanham um determinado período do ano e acabam enfraquecidas em outras épocas. Na entrevista a seguir, o consultor financeiro e sócio-presidente da ba}Stockler, Luis Henrique Stockler, explica o fenômeno e dá dicas de como contornar essa variação para manter o caixa estável durante o ano inteiro.

matéria fora de epoca

Como trabalhar a sazonalidade a favor dos negócios? Luis Henrique Stockler – Todo e qualquer negócio enfrenta a sazonalidade, ainda que em diferentes níveis de intensidade. É importante entender a sazonalidade específica do seu segmento e planejar ações para normalizar a curva de faturamento. No caso das piscinas, o aspecto mais sazonal são as estações do ano. No verão, a procura é maior, seja para construir, seja para manutenção. A tendência, portanto, é que as vendas se elevem no verão e apresentem baixa nas demais estações do ano. Uma das  lternativas antissazonais é oferecer produtos e serviços adicionais às piscinas. Além disso, é fundamental divulgá-los e manter um relacionamento constante com clientes.

É preciso oferecer novos produtos e atrair os clientes para conhecerem novidades para implementar à piscina, pois quem investe nela certamente procurará promoções para complementar seu patrimônio. Essa divulgação pode ser feita por meio de anúncios em revistas de piscinas, construção e decoração. Outra alternativa é promover a loja fora dela, participando de feirões e showrooms. É preciso buscar lugares que as pessoas visitem com mais frequência, como shopping centers e supermercados, para fortalecer o relacionamento com clientes e apresentar novidades. O varejista precisa se reinventar e analisar as possibilidades de sua região. Esse pensamento também permite fazer marketing cruzado, quando uma loja indica a outra e ambas se complementam.Essas são ações que surtem efeito.

Que estratégias podem ser adotadas para equilibrar as finanças nas épocas de alta e baixa das vendas? 

Para ser eficiente, o planejamento de marketing e promoção precisa ser feito com antecedência, a fim de ampliar as possibilidades de sucesso e evitar gastos desnecessários. Esse planejamento deve ser feito dentro da sua realidade, ou seja, o primeiro passo será definir a verba investida. O marketing não precisa ser feito todos os meses e a verba não precisa ser distribuída igualmente ao longo do ano.É preciso concentrar esforços nos meses mais críticos e economizar esforços nos períodos de alta das vendas, que não dependem tanto do marketing. O ideal para qualquer

tipo de varejo é fazer um planejamento anual de ações, manter um histórico de estratégias que surtiram ou não efeito, guardando amostras desses materiais. Outro ponto indispensável é o endomarketing. Além de investir em marketing em benefício dos clientes, é preciso envolver as equipes de vendas, de modo que se sintam parte da construção desse planejamento. Assim, os times passarão a acreditar no sucesso do negócio e se sentirão motivados a apresentar os novos produtos ou serviços que serão colocados na loja.

É possível aumentar as vendas nos períodos de baixa?

É possível, porém, o período de baixa sempre existirá. O que se pode fazer é minimizar o prejuízo nesse período ou fazer com que ele não seja tão baixo assim. Um exemplo são as lojas de chocolate, que têm faturamento concentrado em duas épocas do ano: Páscoa e Natal, ficando o restante distribuído em 10 meses. Isso é muito ruim para um negócio, então essas lojas começaram a vender cafés, sorvetes, e, assim, aumentaram a frequência de pessoas nas lojas e, consequentemente, as vendas. A sazonalidade não foi invertida, mas a oscilação foi minimizada. Para isso, acima de tudo, é preciso ter novos produtos e serviços e trabalhar a comunicação. O período de baixa nas vendas também é um bom momento para oferecer treinamentos e investir em qualificação das equipes.

O relacionamento com fornecedores também pode ajudar nesse sentido?

Sem dúvida, pois a baixa nas vendas afeta não só o comerciante, mas também o fabricante. Ambos podem aliar esforços de marketing e realizar promoções conjuntas. Os feirões, que citei anteriormente, são uma estratégia nesse sentido. O fabricante precisa estar nesses feirões para levar os produtos que estão parados nas fábricas, colocando
o lojista para vender. Isso é parceria no varejo.

A análise de comportamento dos concorrentes faz diferença?

Isso nunca pode sair do radar. O comerciante aprende tanto com o consumidor quanto com a concorrência. É preciso estar atento ao composto de marketing, preços, produtos, praça, promoções e condições de vendas. Esse monitoramento é uma lição de casa que precisa ser feita pelo menos uma vez ao mês. Assim, é possível analisar o que você ainda não faz e o que pode funcionar para o seu negócio.

Como lidar com aqueles produtos que ficam encalhados por muito tempo nas lojas? 

Uma das principais razões para um produto não vender, em qualquer tipo de negócio, é a falta de apresentação e visibilidade, seja porque o produto fica “escondido”, seja porque o comércio possui pouco espaço de exposição. “Girar” o produto entre as lojas ou mudá-lo de posição dentro do próprio comércio é uma alternativa para fazer com que ele chame mais a atenção do consumidor e venda. Mudar a forma de apresentá-lo também é uma possibilidade. Se a loja tiver bastante fluxo de pessoas, é possível ainda montar kits de produtos e fazer promoções. Alguns shopping centers e hipermercados que possuem lojas vazias também podem funcionar como vitrines de produtos de uma loja, ganhando assim mais visibilidade.

Para finalizar, que dicas o senhor daria aos leitores da Revista ANAPP para faturarem o ano todo com produtos sazonais? 

1.Planejar, considerando o composto de mix, produtos, ofertas e comunicação;

2. Manter a exposição dos produtos;

3. Manter sempre ativo o relacionamento com o cliente, não permitindo que ele te esqueça. Isso pode ser feito com o envio de newsletters e convites para que conheça seus novos produtos.

Esses são ingredientes fundamentais para vender o ano inteiro. *Luis Henrique Stockler é graduado em administração de empresas pela FGV, especializado em marketing pela ESPM e possui MBAs de gestão pelo ITA/
ESPM e pela FIA/USP. É consultor em diversos projetos relacionados ao varejo e franquias, além de sócio-presidente da ba}Stockler, consultoria especializada em estratégias para varejo e distribuição. É também mentor da Endeavor e da InovAtiva Brasil, professor e palestrante credenciado na ABF e Sebrae, além de ministrar aulas de gerenciamento de franquias, marketing e gestão imobiliária para varejo na FIA/Provar e FGV-SP.

 

Fonte: Revista ANAPP

anapp_132_capaAnuncie aqui revista 02

Águas de reúso e de chuva

Postado em 27 de abril de 2017 | 0 comentários

A reutilização da água de piscina e o aproveitamento da água de chuva para seu abastecimento são ações possíveis, econômicas e que colaboram com o meio ambiente.

Diariamente, milhões de litros de água são descartados sem qualquer chance de serem reutilizados. Entre as formas de descarte, está um procedimento equivocado de completa eliminação da água de piscinas e sua troca, o que configura um desperdício de grandes volumes de uma só vez. O resultado é um alto prejuízo econômico e, principalmente, ambiental. Esse cenário poderia ser evitado com conhecimento sobre as formas de tratamento e reúso da água da piscina e também do aproveitamento da água de chuva.

Quando se elimina toda a água da piscina em razão de ela estar imprópria para banho, perde-se a oportunidade de colaborar com o meio ambiente e a sustentabilidade. Isso porque essa água poderia ser reaproveitada para geração de energia, refrigeração de equipamentos, limpeza de locais, rega em jardins e, até mesmo, ser reutilizada na própria piscina. De acordo com o engenheiro e diretor da Esco Água e Energia LTDA. – Energy Saving Company, Adalberto Carvalho de Rezende, denomina-se “água de reúso” a água cuja reutilização é viabilizada para o mesmo fim inicial ou outro. No caso da água de piscina, é possível tanto reutilizá-la em outras atividades quanto na própria piscina, desde que passe por tratamento adequado.

Nesse caso, segundo Rezende, são necessários a limpeza prévia da água e o restabelecimento de suas condições físicas, químicas e bacteriológicas. Ainda de acordo com o especialista, é importante observar o uso do kit controle (pHe cloro) padrão e fazer as adequações para que essa água de reúso esteja em boas condições de balanceamento e sanidade.

Reúso

Para reutilizar a água da piscina, é necessário instalar um reservatório na saída do sistema de limpeza, de modo que a água possa ser coletada em vez de ser eliminada pelo esgoto. As impurezas comuns em piscinas, como folhas, poeira e resíduos dos protetores, são eliminadas nesse próprio sistema, composto de bomba, filtro, mangueiras, sugadores, coadeira, bocal de aspiração e ralo de fundo. Na utilização normal da piscina, fisicamente, a água passa por esse sistema, sendo filtrada e bombeada de volta para a piscina. Eventualmente, quando necessário, a água descartada nesse processo pode ser reutilizada na limpeza e rega de jardins, o que configura um máximo reaproveitamento. Outra solução sustentável para piscinas é o aproveitamento da água de chuva.

Nesse caso,segundo o engenheiro, é necessário instalar coletores diretos para reservatório, de modo que haja um preparo da água para que esteja em condições de uso. O especialista adverte que não é recomendável o envio direto para a piscina. Quanto aos tratamentos físicos e químicos pelos quais a água de chuva deve passar, a retirada de partículas sólidas e o restabelecimento do pH são dois dos mais importantes.

Por fim, o especialista, que também é professor da Escola de Engenharia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e membro do Conselho de Políticas Ambientais do Estado de Minas Gerais, sugere que todo reúso de água
deva ser calculado em termos econômicos, avaliando suas vantagens e custos. Entretanto, os usos para limpeza e rega, por dispensarem tratamento, são sempre apropriados.

Fonte: Revista ANAPP

anapp_132_capa

Anuncie aqui revista 02

A ANAPP disponibiliza 02 espaços gratuitamente aos associados

Postado em 17 de abril de 2017 | 0 comentários

 

A ANAPP disponibiliza 02 espaços gratuitamente aos associados, sendo:

 

História do Associado

Para participar, envie um e-mail para comunicacao@anapp.org.br aos cuidados de Danielle Costa, manifestando seu interesse em participar desta seção gratuitamente. Será feito sorteio para definição do escolhido e o associado deve atender às seguintes condições:

 

  • Não ter saído nesta seção nos últimos 2 anos
  • Estar adimplente com as contribuições associativas e/ou outros compromissos financeiros com a ANAPP

 

 

Notícia do Associado

Para participar, o associado deverá enviar notícia com até no máximo 800 caracteres e 1 foto em alta resolução. As notícias que não estiverem dentro do padrão estipulado não poderão ser publicadas. Temos um limite de notícias por revista, portanto as notícias serão publicadas por ordem de chegada. As notícias não podem ter cunho de propaganda.

 

 

 

Anuncie aqui revista 02

 

Anuncie já

Seja visto por lojas e revendas de todo o Brasil.

Para receber uma proposta entre em contato com Karla Hadlik, 11 2307-0122 ou envie um e-mail para karla@anapp.org.br.

27 fotos de piscinas em casa deslumbrantes para você sonhar alto

Postado em 12 de abril de 2017 | 0 comentários

 

 

O desejo de muitas pessoas e ter uma casa bonita, atrativa e com uma bela piscina em destaque, para aproveitar os dias mais quentes com os amigos e também com a família. Antes de construir uma piscina, o primeiro passo é decidir onde a mesma será construída, levando em consideração espaço, árvores e as plantas, o sol e também o solo, certificando assim que vai um espaço agradável para todos.

Confira aqui as imagens e as dicas com piscinas maravilhosas, que são o nosso sonho de consumo.

 Piscina Suspensa

piscina-suspensa

Piscina ao redor da casa
piscina-ao-redor-da-casa

 

Piscina com deck de madeirapiscina-com-deck-de-madeira

 

Piscina circular com detalhe no centro

piscina-circular-com-detalhe-ao-centro

Piscinas dentro de casapiscina-dentro-de-casa

Piscina com ofurôpiscina-com-ofuro

 

Piscina com deck de pedraPiscina-com-deck-em-pedra

 

 

Piscina com borda infinita

piscina-infinita (1)

 

 

Piscina quadrada e iluminada

piscina-quadrada-e-iluminada

 

 

Clique aqui e confira o álbum completo