Faça seu login

Você já ouviu falar em fisioterapia aquática?

Postado em 21 de fevereiro de 2018 | 0 comentários

A Fisioterapia Aquática, conhecida por Hidroterapia, é uma técnica da fisioterapia que utiliza os efeitos fisiológicos e cinesiológicos que uma piscina pode oferecer,  auxiliando assim na reabilitação ou prevenção de alterações funcionais, além da promoção da saúde (Candeloro e Caromano – 2006).

Deste modo, a Fisioterapia Aquática através do uso da piscina terapêutica em uma temperatura ideal, para este fim com parâmetros de medidas, profundidade, temperatura e ambiente externo, oferece um ambiente próprio para a prática dos exercícios, gerando o alívio a dor e espasmos musculares, assim como melhorar o suprimento sanguíneo, equilíbrio, coordenação e postura (Almeida; Netto; Vinhas, 2006; McNeal, 2000).

Os benefícios da imersão, cientificamente comprovados, são proporcionados por meio das alterações fisiológicas que ocorrem pelas propriedades físicas da água, sendo descritas como principais: a pressão hidrostática, a flutuação, a densidade relativa e a temperatura.

Foto: Sakhorn/Fotolia

Uma sessão de Fisioterapia Aquática é composta de várias fases de tratamento Foto: Sakhorn/Fotolia

Uma sessão de Fisioterapia Aquática é composta de várias fases de tratamento, envolvendo, principalmente, aquecimento, alongamento, exercícios específicos e relaxamento. Essa área de atuação da fisioterapia vem conquistando espaço a cada dia, proporcionando uma uma intervenção não farmacológica e não invasiva para os pacientes.

Conheça um pouco mais sobre as indicações e contraindicações, assim como os principais benefícios dessa modalidade de tratamento.

 

Método de Bad Ragaz

A filosofia desse método é usada internacionalmente para reeducação e fortalecimento musculares, tração ou alongamento da coluna vertebral, relaxamento e inibição do tônus muscular aumentado. É um método versátil e pode ser adaptado a pacientes neurológicos, ortopédicos e reumatológicos, os objetivos de tratamento visam buscar a funcionalidade corporal.

 

Método Halliwick

Sua filosofia é de natureza recreativa e enfatiza a independência para nadar aos portadores de necessidades especiais, através de suas habilidades em meio líquido e não de suas dificuldades em solo.

 

Estágio 1 – Ajuste mental: é a adaptação para entrar na água e acostumar-se ao meio líquido e a seus efeitos físicos.
Estágio 2 – Controle do equilíbrio: ajuda a melhorar a mobilidade e a estabilidade da coluna vertebral.
Estágio 3 – Inibição: equilíbrio estático, o paciente deve manter-se numa posição, evitando movimentos amplos de extremidades.
Estágio 4 – Facilitação: o paciente desliza na superfície realizando flexo-extensão contínua dos punhos submersos (como o movimento do rabo de um peixe), simetricamente e junto dos quadris.

 

Método Watsu

Foi criado a partir do emprego de alongamentos e movimentos do zen shiatsuem pessoas flutuando em água morna. É composto de movimentos sequenciais e contínuos, tendo início na parede da piscina, considerada como âncora tátil e referência ao paciente, ao retornar no final da sessão.

Na filosofia do método, o corpo encontra, na água, a liberdade perdida pela alma, e a exploração contínua dessa liberdade é dada através do Watsu,

 

Indicação da Fisioterapia Aquática

Essa modalidade de terapia é indicada para as seguintes afecções
– Neurológicas;
– Reumatológicas;
– Traumato-ortopédicas;
– Pneumológicas;
– Na cardiologia;
– Ginecologia e obstetrícia;
– Pediatria;
– Gerontologia;
– Estados de ansiedade emocional, depressão ou estresse.

 

Os benefícios da imersão são proporcionados por meio das alterações fisiológicas que ocorrem pelas propriedades físicas da água Foto: GioRez/Fotolia

Os benefícios da imersão são proporcionados por meio das alterações fisiológicas que ocorrem pelas propriedades físicas da água.

 

Suas CONTRAINDICAÇÕES são poucas, sendo relativas ou absolutas, e envolvem:

– Doenças de pele;
– Estados críticos de saúde geral;
– Infecções agudas ou crônicas;
– Febre;
– Crises de epilepsia sem controle;
– Intolerância ao cloro;
– Medo da água, e outras.

 

Listamos alguns dos principais benefícios do tratamento:

– Promove o relaxamento muscular;
– Facilita o movimento articular promovendo a manutenção e/ou restauração da amplitude de movimento;
– Aumenta a circulação periférica;
– Redução de edema;
– Redução da espasticidade
– Melhora a musculatura respiratória;
– Reduz a atuação da forca gravitacional;
– Melhora a autoconfiança do paciente;
– Facilita a marcha;
– Melhora funcional do equilíbrio, locomoção e coordenação

(Degani,1998)

 

Conclusão

É comprovado a melhora do tratamento fisioterapêutico que a terapia aquática proporciona para o paciente, isso se dá devido uma base solida de trabalhos científicos produzidos na área. Portanto, além de realizar todos os procedimentos com base científica, ela permite o tratamento de diversas disfunções do organismo, associando o bem-estar físico e emocional dos pacientes.

O ideal sempre é ser atendido por um profissional especializado que tem o conhecimento das técnicas modernas e atualizadas de Fisioterapia aquática. Para saber mais procure um Fisioterapeuta!

 

Fonte: http://www.webrun.com.br/entenda-fisioterapia-aquatica/

Author: admin

Compartilhar

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *