Faça seu login

Terapia no banho

Postado em 12 de julho de 2018 | 0 comentários

Relaxe o corpo e combata o estresse nas banheiras de ofurô

O ofurô é um tipo de banho quente (com a temperatura da água entre 36°C e 40°C), realizado em uma banheira de madeira, também chamada de ofurô, muito comum no Japão. Menor e mais funda, a banheira de ofurô é mais adequada para banhos terapêuticos.

Diferente das tradicionais banheiras ocidentais, a oriental é construída dessa maneira para que o usuário fique sentado, com toda sua coluna submersa, o que propicia um relaxamento maior na água aquecida. Essa posição faz a pessoa recuperar a energia e experimentar a paz que teve no ventre materno.

Mais de uma pessoa pode utilizar o ofurô ao mesmo tempo. Os orientais acreditam que ele serve, também, como objeto de socialização.

Por isso, é necessário fazer a higiene física antes de entrar na banheira, que irá servir para a higiene mental, além do relaxamento muscular.

Esse tipo de banho é recomendado para o combate ao estresse, alívio de dores e estímulo da circulação sanguínea.

Os bebês também podem aproveitar toda essa energia positiva a partir de banheiras especiais, em tamanho diferenciado, e experimentar a sensação de aconchego e segurança.

Além de tranquilizá-los, o banho de ofurô melhora o sono dos bebês e diminui as cólicas.

Sem-título-3

Prepare seu banho terapêutico

Assim que a banheira estiver repleta de água, com a temperatura entre 36°C e 40°C, coloque uma colher de sopa de óleo vegetal de amêndoas doces e quatro gotas de óleo essencial de lavanda. Essa mistura pode ser feita tanto para adultos quanto para bebês. Certifique-se de que o óleo de lavanda está bem diluído com um óleo vegetal de boa qualidade.

De acordo com especialistas, esse banho pode ser tomado todos os dias, preferencialmente antes de dormir, para que seja obtido um resultado melhor e uma proveitosa noite de sono.

A explicação é que o óleo essencial é calmante e sedativo, tratando a irritação e a insônia, e ajudando também na renovação celular, relaxamento muscular e proteção contra infecções. Já o óleo vegetal tende a melhorar a elasticidade da pele e a circulação sanguínea, podendo prevenir irritações, inflamações e assaduras, uma vez que possui vitaminas e minerais próprios para isso.

“Mas eu não tenho um ofurô ou banheira. Não posso tomar esse banho terapêutico?” Ora, mas é claro que pode. Basta seguir as recomendações acima misturando os óleos vegetal e essencial em uma jarra e, ao final do banho, despejar essa mistura sobre o corpo, tomando cuidado para não molhar do pescoço para cima.

Outros banhos

Existem outros tipos de banhos terapêuticos que podem ser feitos com outras finalidades. Um deles é o indicado para cicatrizações e pós-parto; outro é o banho revigorante.

O banho para cicatrizações e pós-parto é preparado com: duas colheres (sopa) de flores de calêndula; duas colheres (sopa) de flores de camomila; uma colher (sopa) de flores de milfolhas; cinco gotas de óleo essencial de lavanda; uma colher (sopa) de óleo vegetal de calêndula. Junte tudo em um bule de chá e derrame uma xícara de água fervente, tampando e deixando descansar por 10 minutos.

Na banheira, coloque água na temperatura ideal – de 36°C a 40°C – até a altura onde se pretende a cicatrização e despeje a mistura.

Tome o banho por, no máximo, 10 minutos. Quem não tem banheira pode usar uma gaze ou um pano de algodão limpo, passando suavemente no local que deseja ser curado. Faça isso uma vez ao dia por, no máximo, 15 dias.

Já o banho revigorante, que ajuda na recuperação muscular e após atividades físicas, leva os seguintes ingredientes: duas colheres (chá) de folha de louro picada, uma colher (chá) de alecrim picado e cinco gotas de óleo essencial de capim-limão (lemongrass). Coloque tudo no bule de chá com uma xícara de água fervendo e espere 10 minutos.

Para se banhar: encha a banheira com água até a altura do peito, coloque a mistura e fique submerso entre 15 e 20 minutos. Para o chuveiro, coloque tudo em uma jarra e, ao final do banho normal, despeje do pescoço para baixo. O banho deve ser feito até três vezes por semana. Lembre-se de que esse banho não é recomendado para pessoas com pressão alta: o alecrim é um estimulante e pode elevar a pressão arterial. Especialistas recomendam que, após os banhos terapêuticos, a pessoa não se seque com toalha, a fim de que as ervas façam efeito por mais tempo.

Fonte: Revista ANAPP Edição 127

Author: admin

Compartilhar

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *