Faça seu login

Piscina Segura

Postado em 24 de maio de 2018 | 0 comentários

Além de tranquilidade, cercas, alarmes e outros dispositivos tornam a recreação mais segura

Por Mauro Boimel

Não há nada mais gostoso do que curtir uma piscina ao lado de nossos filhos e bichinhos, não é mesmo? Só que para tornar essa experiência ainda mais agradável, com mo­mentos descontraídos inesquecíveis e em ótimas companhias, é imprescindível um ambiente seguro. Dispositivos de segurança para piscinas, como cercas, escadas, ram­pas de acesso e alarmes tornam nosso lazer e convívio com amigos e familiares ainda mais gostoso.

Um exemplo disso, um dos itens mais utilizados para as piscinas, são as cercas. “Elas são uma barrei­ra física facilmente monitorada pelos responsáveis, com pouco mais de 1 metro de altura. As travas en­tre os módulos não podem ser abertas por crianças, nem mesmo pelos animais mais ágeis, devido à força e aos complexos movimentos necessários, no caso do homem, claro, com as duas mãos. Os ‘baixi­nhos’, que devem estar sempre sob supervisão, não conseguem subir na cerca por falta de apoio, nem podem passar por baixo da tela”, afirma Eduardo Macedo, gerente de vendas da Guartecs.

“De acordo com as normas internacio­nais, as cercas, quando isolam e protegem uma piscina, devem ter mais de 1 metro de altura e possuir portão com fechamento e travamento automático. Com essa medi­da, mesmo que as pessoas esqueçam de acionar o portão, ele se fechará automati­camente impedindo o livre acesso de crian­ças e animais ao tanque”, afirma Augusto César Melvino Araújo, diretor comercial da Sodramar. “A capa de segurança também é uma medida eficaz. Sempre é bom lembrar que existem capas térmicas, que não são de segurança e servem apenas para evitar a perda de calor da piscina e proteger de su­jeiras, folhas e insetos que muitas vezes são trazidos pelo vento e caem na piscina. As capas de segurança geralmente são produ­zidas em material laminado em PVC, com reforço em poliéster, e devem ser fixadas na borda com pinos e cordas. O fabricante deve informar qual o peso máximo suporta­do e orientar o usuário quanto a sua coloca­ção e remoção”, ensina Augusto.

Anapp_ed133_baixa_2

 “A cerca removível, além de ser um produto re­comendado por especialistas, é totalmente móvel/ desmontável. Sua retirada, embora simples, só pode ser realizada por um adulto, e não requer utilização de ferramentas. Crianças não conseguem abrir, pois existem mosquetões (travas de segurança). Além disso, como nas cercas fixas, elas também não atra­palham a visibilidade, e são ajustáveis às irregulari­dades do formato da piscina e do piso em volta. E, o que é melhor, a instalação é rápida, e feita em pou­cas horas”, afirma Eduardo. “São produtos que pos­suem diferenciais determinantes, que impactam diretamente na segurança, estética e funcionalida­de da piscina”, declara ele, completando. “As travas de segurança são muito seguras, e bem fácil para qualquer adulto manusear, ou seja, abrir e fechar. Elas têm um fecho geralmente de inox e alça ergo­nômica”, diz. Eduardo faz um alerta importante: “se não forem usadas peças adequadas, como ganchos simples de ferro zincado, os mesmos podem ser abertos por crianças ou mesmo enferrujar. Com o tempo, isso pode resultar em possíveis acidentes”. Segundo os testes realizados, os produtos suportam um impacto equivalente a um corpo de 40 quilos, a velocidade de 15 km por hora. Ou seja, eles atendem perfeitamente às exigências de segurança tanto de crianças, como também os animas domésticos.

Mas não são só as cercas que fazem este serviço de proteção em piscinas. Para nossas crianças e animais domésticos, há disposi­tivos como alarmes sonoros que adicionam uma tranquilidade a mais e garantem o con­forto deles e o nosso, claro. Existem sensores que, colocados no pulso da criança, junto com a instalação de um sistema de alarme, com alcance entre 30 e 60 metros, contri­buem na supervisão das crianças e animais, que deve ser permanente. A pulseira só pode ser removida pelo adulto pois uma criança pequena não conseguirá fazê-lo. Estes alar­mes são muito práticos, não requerem ins­talação complicada e funcionam em todo tipo de piscina, exceto água do mar. Eles são transportáveis e não precisam de conexões.

Os alarmes de pulso para os pequenos já são utilizados em vários estabelecimen­tos comerciais, como hotéis, clubes e aca­demias. Mas não se deve esquecer que nada substitui a supervisão de um adulto quando se trata de segurança em piscinas”, recomen­da Augusto.

Também existem dispositivos como estes para cães, eles podem ser colocados na pata ou principalmente na coleira do animal.

Revista Anapp Edição 133

Author: admin

Compartilhar

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *