Faça seu login

Água Limpa Protegida

Postado em 6 de setembro de 2018 | 0 comentários

Sistema de tratamento com radiação ultravioleta, associado ao cloro, fortalece ação de combate às bactérias e reduz impacto da cloramina

Por Rúbia Evangelinellis

Mais utilizado. Há também o entendimento mundial de que o melhor tratamento é aquele que combina cloro com outro auxiliar, como à base de radiação ultravioleta (uv), ozônio e ionizador”, explica Augusto César Melvino Araújo, presidente da ANAPP.

Considerando especificamente a ação do sistema de desinfecção por meio de uv, a radiação por uso de lâmpadas tem como vantagens a redução do uso de agentes químicos e seus efeitos sobre os banhistas. Por exemplo: uma água tratada somente com cloro, pede uma dosagem de 2 e 3 ppm (parte por milhão), volume que cai pelo menos pela metade com o uso do uv. Como reflexo benéfico, reduz os efeitos da cloramina, espécie de efeito colateral do produto, que provoca forte odor, gruda na pele, irrita os olhos, resseca o cabelo e pode provocar alergias e rinites, entre –outros males.

Todo mundo sabe da necessidade de manter a água da piscina tratada e protegida da ação de bactérias, impurezas. E que, para isso, é preciso lançar mão da limpeza química, com a utilização de material descontaminante, como o cloro residual livre.

Embora o cloro seja o agente potencial de maior uso, é possível aumentar a proteção com o seu uso associado à radiação ultravioleta (uv). “Existem muitas bactérias que não conseguem ser eliminadas apenas com material descontaminante ou oxidante, sendo o cloro o mais utilizado. Há também o entendimento mundial de que o melhor tratamento é aquele que combina cloro com outro auxiliar, como à base de radiação ultravioleta (uv), ozônio e

ionizador”, explica Augusto César Melvino Araújo, presidente da ANAPP.

Considerando especificamente a ação do sistema de desinfecção por meio de uv, a radiação por uso de lâmpadas tem como vantagens a redução do uso de agentes químicos e seus efeitos sobre os banhistas.

Por exemplo: uma água tratada somente com cloro, pede uma dosagem de 2 e 3 ppm (parte por milhão), volume que cai pelo menos pela metade com o uso do uv. Como reflexo benéfico, reduz os efeitos da cloramina, espécie de efeito colateral do produto, que provoca forte odor, gruda na pele, irrita os olhos, resseca o cabelo e pode provocar alergias e rinites, entre outros males. Segundo Augusto, a limpeza da piscina é feita na classificação UVC (de 200 a 280 nm) e por meio de um equipamento instalado logo após o filtro. Quando a água termina de ser filtrada, ela passa por uma câmara revestida por aço inox, onde estão uma ou mais lâmpadas, de tubos de quartzo, que são mais transparentes do que o vidro e possibilitam a transmissão dos raios ultravioletas para a água, combatendo os agentes contaminantes e bactérias. Na intensidade de luz adequada, acrescenta, o sistema “destrói” os micróbios, desde que a ação dure o tempo necessário para eliminar o agente contaminante. O empresário lembra que, por norma da ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas, o sistema filtrante de piscina tem de ser programado diariamente para operar entre seis e oito horas, no mínimo. Toda vez que a água for submetida a esse procedimento, numa piscina com ralo de fundo e com uma bomba que puxa a água por ali, remetendo ao filtro para tirar as impurezas sólidas, automaticamente a luz se acende e começa o trabalho automático de desinfecção pela radiação.

No caso de manutenção, o único cuidado é verificar se as lâmpadas estão em perfeito funcionamento. Elas têm uma vida útil aproxima de nove mil horas ou de quatro anos, considerando uma rotina de limpeza diária programada para cerca de seis horas, tempo recomendado para piscina de uso doméstico, que recebe menor fluxo de banhistas. “Para aquelas de uso comercial, como de uma academia que recebe até 400 pessoas por dia, a própria norma estabelece um tempo menor de funcionamento da filtragem, de quatro a seis horas, o que exige um sistema mais potente de tratamento”.

O custo do equipamento, de tamanho de

60 cm, para tratamento da água de piscina residencial, medindo de 6 metros x 3 metros, sai por cerca de R$ 800 para lojistas, que vendem por algo em torno de R$ 1.200 a R$ 1.300 para o consumidor. O sistema pode ser instalado a qualquer momento, sendo acoplado à filtragem a partir de dois cortes no tubo. As lâmpadas custam em torno de R$ 120.

Fonte Revista ANAPP Edição 140

Author: admin

Compartilhar

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *