Faça seu login

O Parque Aquático do São Paulo Futebol Clube

Postado em 13 de agosto de 2014 | 2 comentários

Poucos sabem, mas um dos maiores estádios particulares reserva um espaço só para quem não dispensa um banho de piscina.

spfc

1962. Ano em que foi inaugurado o Estádio Cícero Pompeu de Toledo – o Morumbi. A obra é do arquiteto Vilanova Artigas e levou 18 anos para ser concluída. Poucos sabem, mas ali, atrás de um dos maiores estádios brasileiros, estão instaladas piscinas. Sim. Elas ficam na área social do clube. O projeto é assinado por Carlos Castaldi e também por Artigas. Nesta edição da revista ANAPP, saiba um pouco mais sobre as piscinas são paulinas e alguns de seus detalhes técnicos.
Em 1978, uma piscina em formato oval foi incorporada ao Parque Aquático do São Paulo Futebol Clube – SFC. Em 2003, começaram a aparecer problemas estruturais. A piscina para uso adulto, por exemplo, partiu-se ao meio. Sem opções de conserto, foi sugerido unir esta piscina com a de uso infantil e lançar atrativos. Porém, foi necessário abrir mão da profundidade. Desde então, ela leva o nome de Piscina Recreativa.

Banhistas desfrutam da piscina olímpica do SPFC

Banhistas desfrutam da piscina olímpica do SPFC 

Na piscina olímpica, surgiram trincas nas paredes laterais. A reconstrução demandaria tempo e não havia recurso financeiro disponível. Sendo assim, optou-se pela instalação de um bolsão de vinil – segundo a divulgação do clube, o primeiro bolsão de vinil em piscina olímpica da América do Sul. O custo reduzido e a baixa implantação permitiram que o associado desfrutasse da piscina logo no verão do ano seguinte. Este bolsão tem a função de segurar a água dentro da “caixa da piscina” (estancando os vazamentos existentes na estrutura de concreto), num prazo curto, com custos reduzidos e com aspectos estéticos bastante aceitáveis”, explica o engenheiro civil do SPFC: Walter Follador.

spfc2

Vista superior do Parque Aquático

Últimas mudanças

Em 2013, a diretoria do SPFC decidiu modernizar o parque aquático. A proposta não foi só reconstruir a piscina olímpica, mas também minimizar problemas crônicos de forma definitiva. Foi trabalhada a profundidade, localização da casa de máquinas e eliminação de tubulações muito longas. Outro cuidado foi atender antigos anseios dos associados, como a inauguração de piscina aquecida, por exemplo.

Casa de máquinas do SPFC

Na piscina recreativa, foi instalado um sistema de aquecimento solar complementado por um apoio elétrico de 12 bombas de calor. Isso permite que a temperatura da água chegue a até 30 ºC – mesmo durante o inverno. A profundidade média da piscina olímpica é de 1,45 metros. Seu acabamento é feito de cerâmica. A piscina é aquecida por sistema solar e recebe apoio elétrico de 8 bombas de calor.

No período de melhorias, a equipe de engenharia atentou que as duas paredes laterais de cinquenta metros estavam trincadas. Então, foram construídas duas novas paredes internas. O resultado foi uma piscina olímpica de 8 raias úteis para competições oficiais. Um dos benefícios foi a criação de 2 túneis técnicos, que são corredores diferentes entre si: o primeiro com aproximadamente 1,00 metro de largura – com pé direito suficiente para uma pessoa caminhar de pé por onde passam todas as tubulações de retorno da piscina. Isso facilita a visualização e eventuais consertos. O segundo túnel tem 4,00 metros de largura, estas tubulações também estão aparentes, com a mesma função e também lá estão colocados os sistemas de filtragem e cloração da água. São 5 filtros para a piscina olímpica e 4 para a piscina oval.

Casa de máquinas do SPFC

Casa de máquinas do SPFC

 

Nova estrutura

A estrutura de concreto armado da nova piscina olímpica foi dimensionada pelo engenheiro Cesar Pereira Lopes e conta com pelo menos 100 estacas-raiz. Elas servem para apoiar as paredes de concreto e da nova laje de fundo – com espessura média de 30 cm de concreto armado. O método de fundação foi o indicado para as condições do subsolo do local. Foram consumidos ao menos 565 m³ de concreto e 40 toneladas de aço.

Para o dimensionamento de todas as estruturas de concreto da nova piscina – incluindo paredes e fundo – foram feitas sondagens do subsolo que indicaram qual seria o melhor método de fundação a ser utilizado. Optou-se por estacas-raiz. Foram necessárias 108 estacas para suportar o peso da estrutura de concreto e da água no seu interior. Todo o cálculo da estrutura de concreto foi baseado no conteúdo dos dados obtidos pela sondagem.

Entre as novidades, estão 3 jardineiras com bancos de madeira entre a piscina olímpica e a oval. Além disso, uma cascata foi construída na lateral da piscina olímpica. Nela, as paredes são revestidas de pedra madeira, por onde a água ganha movimento em circuito fechado com tratamento próprio e aquecimento individualizado.

A antiga pedra mineira foi substituída pelo piso deck de 1.400 m² no entorno da piscina olímpica. O novo piso é emoldurado para permitir a transição entre os antigos e novos.

 

Obras Complementares

Para que tudo funcione da melhor maneira, são necessárias instalações que passam despercebidas pelo associado, tais como:

  • Tubulações para conduzir a água das piscinas para os coletores de calor sobre o prédio social;
  • Eliminação ou desvio das antigas tubulações de retorno e de tratamento da água para a nova casa de máquinas;
  • Alambrados de proteção dos novos equipamentos de aquecimento das águas;
  • Novo aceso de serviço ao Parque Aquático com entrada pela Rua Laudo Natel;

Instalações elétricas, como cabeamentos, desde a cabine primária existente até os novos quadros de força, com capacidade dimensionada para atendimento das necessidades dos novos sistemas de tratamento de águas, bem como para os novos sistemas de aquecimento.

O tratamento da água é feito com hipoclorito de sódio. O componente é injetado diretamente nas tubulações de retorno através de bombas dosadoras computadorizadas. Segundo informações da Diretorial Social, pelo menos 70.000 pessoas por mês frequentam o clube todos os meses.
Estádio do Morumbi: Praça Roberto Gomes Pedroza, nº 1 – Morumbi, São Paulo – SP.

  • As visitas acontecem das terças a sextas-feiras. Saídas às 10h, 12h, 14h e 15h30;
  • Sábados, domingos e feriados: saídas às 10h30, 11h30, 12h30, 13h30 e 14h30.

Em dias de jogos durante a semana, o Morumbi Tour funciona normalmente. Já nas partidas aos sábados ou domingos, não há funcionamento. Para mais informações, acesse: http://www.saopaulofc.net

Author: admin

Compartilhar

2 Comentários

  1. Prezados, gostaria de receber informações sobre valores para ingressar como sócio ( eu 35 anos, meu marido 41 , meus filhos de 14 e 6 anos ) . Também trabalho em uma seguradora de saúde com 5,000 funcionários e gostaria de saber se é possível fazer uma parceria com desconto. Obrigada

    Post a Reply
    • Olá, Marcia. Para essas informações você precisa entrar em contato com o próprio clube e se informar com a diretoria social do São Paulo. Através desse link é possível verificar os contatos: http://www.portao7.com.br/. Nesse outro link é possível verificar valores e outras informações sobre o assunto: http://www.portao7.com.br/fique-socio.

      Post a Reply

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *